sobre

a padê é um coletivo editorial que publica de livros artesanais de autoras negras, periféricas, lésbicas, travestis, pessoas trans, bissexuais em tiragem pequena (300 a 500 exemplares), montada em 2015 por tatiana nascimento (DF) y bárbara esmenia (SP).

publica também outrxs escritorxs resistentes/dissidentes às normas que confinam corpos: letramento/escolaridade, raça/sexo/gênero/tamanho/aptidões, territórios, afetos. celebramos y procuramos escritas que combatam opressões (racismo, classismo, gordofobia, capacitismo, intelectualismo, capitalismo, especismo, mau-caratismo y mau-humor), em especial escritas feitas por amantes em geral: do céu, da dança, da risada, da vida, do espírito solto y da palavra afiada.

conheça nossos livros na loja!

em 2018, fomos selecionadas pelo Fundo Elas de Investimento Social pra publicar, pelo Projeto Escreviventes: autopublicação artesanal de narrativas LBTs, 60 autorxs LBTs, 80% negrxs. até outubro de 2018, 21 títulos já foram lançados. você pode comprar ou baixar os livros (em formato .pdf) no portal www.literatura.lgbt, que criamos pra hospedar esse projeto.

pade.editorial@gmail.com

padê surge das encontras. das caminhas encruzilhadas.
da vida que liga pisares. que conecta terra-chão. que demanda terreiros.
que escorre em ser água. que faz ar sopro d’éter.
padê próprio éter. padê matéria das palavras.
padê labareda incandeia lume.
padê articulação das falas. padê encontra das sílabas.
padesconstrução de estados-dicionários.

padê materializa em letras a ânsia-preta-não-dá-mais-pra-segurar.
padê quer ser registra escrita. objeta tocável. propícia ao olfato.
gustativas palavras. sensitivo pensar.
padê pá que é nóis.